Flipelô festeja o sucesso alcançado

Mais de 80 mil pessoas participaram da 3ª Festa Literária Internacional do Pelourinho – FLIPELÔ, que aconteceu de 7 a 11 de agosto no Centro Histórico de Salvador. Realização da Fundação Casa de Jorge Amado, com  correalização do Sesc, a FLIPELÔ promoveu, de forma gratuita, uma programação com mais de 150 eventos em 60 espaços ativados, somando-se os oficiais e da FLIPELÔ +.

Para se ter ideia do crescimento da festa literária, em 2017 o evento aconteceu em 12 espaços, em 2018 em 23 espaços e 17 restaurantes e em 2019 em 40 espaços oficiais e 27 restaurantes. E a ideia é em 2020 crescer ainda mais e trazer o público de Salvador de volta ao Pelourinho, além de chamar a atenção cada vez mais de quem está fora de Salvador, para que venha participar da 4ª Festa Literária Internacional do Pelourinho.

Fechando o evento, Angela Fraga, diretora-executiva da Fundação Casa de Jorge Amado fez um balanço muito positivo desta edição: “estamos satisfeitos, foi uma linda festa, com muita aderência de público, que foi eclético, havia crianças, idosos, gente de todas as idades, que vibrou na mesma sintonia, festejando o livro e a literatura.

Durante a Flipelô – Música abrindo e fechando o evento, teatro, 12 exposições e feiras realizadas em museus, galerias de arte e nas ruas. Mesas de debates, bate-papos, lançamentos de livros individuais e coletivos, encontros com autores, rodas de conversa,  saraus de poesia, slam e recital de poemas, narrações de histórias, monólogos, performances literárias, bate-papo musical, apresentações teatrais, apresentações musicais e literomusicais, rodas de capoeira, grupos de percussão pelas ruas, exposições, feiras de moda e artesanato, exibição de filmes, oficinas, show de Gerônimo e para as crianças, bate-papo infantil, narração de histórias e sarauzim, além da programação das bibliotecas móveis, montadas no Terreiro de Jesus.

Ações especiais de acessibilidade foram realizadas com o Grupo de Pesquisa e Extensão Acessibilidade e Arte – GA&A, que fez audiodescrição em exposições e tradução em libras em algumas mesas e debates, e a campanha Lacre do Bem aconteceu novamente. A comunidade do Pelourinho esteve engajada também através dos grupos de tambores tradicionais, dos mestre e suas rodas de capoeira e dos artistas de rua. 50 lojas do Centro Histórico ofereceram descontos de até 50%. A tarifa única de R$ 10,00 foi estabelecida nos Estacionamentos Delta Park durante a festa literária, que encampou a campanha Vá de Metrô para a FLIPELÔ, com a  realização da baldeação gratuita feita por vans da estação do Campo da Pólvora até o Pelourinho.

Nas ruas, uma ação conjunta da Deltur, BepTur, Guarda Municipal e 180  Batalhão garantiu mais segurança. O SAMU esteve a postos. Houve reforço na limpeza e iluminação públicas, segurança patrimonial, sanitários químicos, reestruturação da atuação dos ambulantes, posto de achados e perdidos, ampliação do sinal wi-fi no Pelourinho. O programa de Monitores FLIPELÔ, que dá oportunidade a universitários, voltou a acontecer. Foram 64 horas de eventos, com 350 profissionais envolvidos diretamente e 1800 indiretamente.

FLIPELÔ é pertencimento!

Onde aconteceu a FLIPELÔ – Espaços Oficiais:

Largo do Pelourinho, Teatro e Arena Sesc Senac, Senac, Café Teatro Zélia Gattai, Casa de Castro Alves, livraria oficial do evento – LDM, A Casa Amarela, A Casa das Editoras Baianas, Galeria Solar Ferrão, Museu Eugênio Teixeira Leal, Museu da Misericórdia, Casa do Olodum, Casa do Benin, Igreja do Rosário dos Pretos, Faculdade de Medicina e Terreiro de Jesus, Palco do Cruzeiro do São Francisco, Palco Flipelô, A Flipeloteca (Terreiro de Jesus) e suas Bibliotecas Móveis.

 

Onde aconteceu a FLIPELÔ + :

Em espaços espalhados pelo Centro Histórico, que não fazem parte da programação oficial da FLIPELÔ, diversas atividades culturais se incorporam e contribuem para que a Festa possa abraçar um número maior de participantes. É a programação FLIPELÔ + que acontece na Casa do Carnaval, Escola de Dança da Funceb, Feira da Sé / Inst. ACM, Galeria Triângulo, Largos Quincas Berro D´Água e Pedro Archanjo, PraçaTereza Batista, Teatro Gregório de Matos, Espaço Cultural da Barroquinha, Teatro Miguel Santana, Galeria Enock Silva, Galeria  Luiz Folgueiras, Igreja do São Francisco, Sede dos Filhos de Ghandy.