Argentina faz alianças para fortalecer o turismo com Brasil

A Argentina quer mais brasileiros atravessando suas fronteiras, que hoje atingem a marca de 1,5 milhão de viajantes. Para alcançar esse objetivo, representantes do turismo oficial, embaixada e consulado geral se reuniram em São Paulo, nesta manhã (4/2), com dirigentes da Braztoa, Abav Nacional e da Aerolíneas Argentinas.

A Argentina quer mais brasileiros atravessando suas fronteiras, que hoje atingem a marca de 1,5 milhão de viajantes. Para alcançar esse objetivo, representantes do turismo oficial, embaixada e consulado geral se reuniram em São Paulo, nesta manhã (4/2), com dirigentes da Braztoa, Abav Nacional e da Aerolíneas Argentinas.

Andrés Krymer, subsecretário de Promoção Turística do Ministério de Turismo e Esportes da Argentina, destacou o potencial do mercado emissor brasileiro e salientou as providências para ampliar a conectividade aérea, que responde por 55% das chegadas, seguidas de 30% via terrestre e 15% pelos cruzeiros. Outra ação que está na mira do esforço do Ministério, conduzido neste novo governo por Matías Lammens para cativar mais visitantes a partir do Brasil se refere à abrir o leque de opções, além de Buenos Aires e Bariloche. Prevê também aprimorar produtos para atrair as atenções em períodos de menor sazonalidade como o verão. “Vamos concentrar nossas apostas, ainda, em segmentos que estão sempre em alta no gosto do brasileiro, como gastronomia, enoturismo, ecoturismo, religioso, LGBT entre outros”, salientou Krymer, ao reforçar a estratégia já definida por Lammens.

éssoas posando na foto
Roberto Haro Nedelciu, presidente da Braztoa; Leandro Ballasini, Subsecretário de Relações Institucionais e Cooperação Internacional do Ministério de Turismo e Esportes; Magda Nassar, presidente da Abav Nacional; Daniel Scioli, Embaixador da Argentina nomeado para o Brasil; Andrés Krymer, Subsecretário de Promoção Turística e Novos Produtos do Ministério de Turismo e Esportes; Carlos García Baltar, Cônsul Geral da Argentina em São Paulo; Diógenes Toloni, Diretor Geral Brasil e Ivan Blanco, Gerente Comercial, ambos da Aerolíneas Argentinas. Divulgação.

A aproximação com os porta-vozes do trade turístico brasileiro, Magda Nassar e Roberto Hard Neldelciu, respectivamente presidentes da Abav Nacional e Braztoa, de acordo com o subsecretário do Ministério, é prova da relevância em manter ativo o intercâmbio com o mercado nacional. Krymer adiantou que a Argentina marcará presença em todos os eventos do setor em 2020 e também já deu o start a ações pontuais, a exemplo da que está sendo alinhada com a Prefeitura de São Paulo para promoção em mão dupla dos destinos.

Daniel Scioli, Embaixador da Argentina nomeado para o Brasil, disponibilizará a estrutura da diplomacia à serviço da propagação do destino. Scioli – que tem expertise no trabalho com o turismo desenvolvido em seu país, tanto na área pública como no setor privado – afirmou que “a embaixada e os consulados argentinos darão suporte a este trabalho promocional”. Posição esta compartilhada pelo Subsecretário de Relações Internacional do Ministério de Turismo e Esportes, Leandro Ballasini e pelo Cônsul Geral da Argentina em São Paulo, Carlos García Baltar.

Maior conectividade – Marcar presença na preferência do brasileiro, que elege a Argentina como primeiro destino internacional a ser desbravado, está no alvo da companhia aérea de bandeira que prevê expandir seus voos. Diógenes Toloni, diretor Geral Brasil da Aerolíneas Argentinas, que atua hoje com mais de 90 frequências unindo os dois países, anunciou que, a partir de 11 de maio próximo, voltam as operações no Aeroparque. “Assim se torna possível acessar novas localidades, atendendo demandas e possibilitando aos brasileiros conhecer destinos inusitados na Argentina”. Atualmente a Aerolíneas atende passageiros em sete cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Porto Seguro e Florianópolis.

Magda Nassar sintetizou a posição da Abav ao assegurar que as agências de viagens se manterão firmes em vender a Argentina para aumentar em pelo menos mais 500 mil o número de visitantes, saltando dos atuais 1,5 milhão para 2 milhões de desembarques, se equiparando ao volume de emissões para os Estados Unidos. “Estamos mais próximos fisicamente dos atrativos argentinos e, com a série de feriados prolongados este ano, se torna a opção de viagem apropriada para as chamadas pequenas escapadas”, reiterou a dirigente.