Itapemirim entrará na aviação em 2021

O Covid-19 trouxe uma série de crises e reflexões no turismo mundial, entretanto, isto não esfriou o planejamento do grupo Itapemirim, voltado exclusivamente hoje ao transporte rodoviário, planeja entrar no setor de aviação com sua própria companhia aérea. A expectativa é assinar o contrato de leasing dos primeiros aviões ainda neste mês de julho para começar a voar no primeiro trimestre de 2021.

A intenção do grupo é iniciar as operações no primeiro trimestre do ano que vem com dez aviões, declara Rodrigo Villaça, CEO do Grupo Itapemirim. O modelo ainda não foi definido. Estão sendo avaliados o Embraer 190/195, Airbus A319 e o Boeing 737-700. O planejamento indica uma aeronave que possua capacidade de no máximo 140 pax, plavras de Tiago Senna, CEO da futura linha aérea. A Itapemirim pretende operar um modelo de negócio diferente do oferecido atualmente pelas empresas que voam pelo país.

A Itapemirim promete ir na contramão das companhias de baixo custo. A empresa pretende oferecer um serviço premium, com serviço de bordo diferenciado e classe executiva nos voos domésticos.

O mercado corporativo costuma pagar tarifas mais altas nas passagens aéreas. E o CEO da Itapemirim já adiantou que a empresa não pretende entrar na competição de preço. Para Senna, o momento de pós-pandemia deve ajudar a empresa nesse sentido.

A empresa pretende iniciar suas operações com dez aviões, tendo como principais aeroportos de operação os de Guarulhos (SP), Brasília (DF) e Recife (PE). Para evitar uma concorrência predatória das companhias aéreas que já estão no mercado, Senna afirmou que a empresa deve ter rotas alternativas.

O CEO do grupo Itapemirim já chegou até mesmo a divulgar uma maquete do Airbus A220 no Linkedin. Segundo ele, é exatamente essa a pintura que o avião deve ter. A fuselagem amarela deve ser mais uma diferencial da empresa nos aeroportos por onde passar.

C.Turismo

[email protected]