Sustentabilidade e Búzios caminham juntos

A pandemia de COVID-19 submeteu a indústria hoteleira à quase completa inatividade nos últimos meses. Mas em Armação dos Búzios, no Rio de Janeiro, donos de hotéis e pousadas utilizaram o período ocioso para se unir por um bom motivo: promover a sustentabilidade.

Liderados pela Baía do João EcoPousada – o primeiro estabelecimento do Brasil certificado com o selo Green Key – e por outros três estabelecimentos que estão em processo de solicitação do selo – Pousada Abracadabra, Eco Villa Beija Flor e Villa Balthazar -, onze empreendimentos já se somam ao grupo de trabalho que planeja e executa ações com o intuito de melhor utilizar e preservar os recursos naturais disponíveis na região, seguindo modelos europeus de preservação ambiental. Felix Broden, Gerente da Abracadabra observa que “tendo um grupo hotéis trabalhando juntos, descobrimos que poderíamos ambicionar projetos maiores, como chamar a atenção da cidade para instituir um programa de reciclagem, mas também compartilhar dicas diárias, como por exemplo onde encontrar materiais de limpeza ecológicos.”

O Green Key, com seu renome internacional, exige múltiplos critérios para aprovação do selo, que devem ser mantidos e avaliados em posteriores inspeções. Por isso, é um dos elementos de interseção do grupo, que almeja adaptar seus processos, tais como gestão de resíduos, limpeza, alimentação, economia de energia, reutilização de água, entre outros requisitos necessários para alcançar a premiação. O senso de comunidade atingiu até mesmo outros hotéis de Búzios, que quase unanimemente aceitaram cooperar por ações de reciclagem, limpeza de praias e utilização de produtos ecologicamente seguros em seus estabelecimentos, revelando a força despertada pelo engajamento coletivo.

O empenho do grupo chegou à Secretaria do Meio Ambiente de Búzios, que não só apoia as iniciativas como tem trabalhado junto por elas, licenciando a primeira planta de reciclagem na Baía Formosa e licitando a aprovação do Conselho Municipal do Meio Ambiente para poder realizar a coleta diária dessa planta.

O interesse por estabelecimentos ecologicamente corretos se mostra uma crescente nas prioridades turísticas dos mais diversos públicos. No Brasil, o debate sobre desenvolvimento sustentável é recente, mas não foge a essa tendência, principalmente considerando a riqueza de recursos naturais e biodiversidade do país. Com essas iniciativas, espera-se que a atração de turistas locais e internacionais seja não apenas maior em quantidade, mas também em qualidade, atraindo um público mais preocupado em reduzir a pegada ambiental e cuidar do ambiente em que se hospeda.

C.Turismo

[email protected]