Portugal decreta calamidade pública por causa do Covid

Nos últimos seis dias Portugal regista mais de mil novas infeções diárias de Covid-19, enquanto o número de vítimas mortais e de internados também aumenta o número, existindo hospitais praticamente lotados  no Serviço Nacional de Saúde.

O governo decidiu elevar o nível de alerta devido à pandemia da COVID-19 e passar todo o território nacional para situação de calamidade a partir das 00h00 de hoje quinta-feira, 15 de outubro, anunciou o primeiro-ministro, António Costa.

De acordo com o chefe do executivo, a evolução da pandemia da COVID-19 em Portugal tem sido “grave”, razão pela qual o Governo tomou “oito decisões fundamentais”, com destaque para o regresso à situação de calamidade, que vai vigorar até às  23h59 de dia 31 de outubro de 2020.

“Em primeiro lugar, elevar o nível de alerta da situação de contingência para o estado de calamidade em todo o território nacional, habilitando assim como a tomar as medidas que se justifiquem sempre que necessário, desde as restrições de circulação a outras medidas que em concreto se venham localmente a serem consideradas”, disse o primeiro-ministro Costa.

Com a situação de calamidade, os grupos de mais de cinco pessoas nas ruas passam novamente a estar proibidos a partir das 00h00 de hoje, com o primeiro-ministro  apela à responsabilidade individual dos cidadãos.

António Costa considera que o país precisa de prosseguir “sem incidentes ou novas interrupções as atividades letivas em todos os graus de ensino” e evitar medidas que contribuam para aprofundar a crise económica e social, que ameaçam o emprego e o renda das famílias.

 

C.Turismo

[email protected]