Trade de Foz do Iguaçu promove diálogo com novos vereadores

Foz do Iguaçu tem em sua vocação o turismo como principal meio econômico. Uma grande parcela da população depende direta e indiretamente da atividade e, com a pandemia, sentiu na pele o impacto negativo da ausência dos visitantes, com um saldo de 6.610 empregos perdidos. Agora, com o trabalho de retomada, o setor prevê a recuperação de folego passo a passo, para isso, a união de todos os setores e poderes serão determinantes nesse processo. Pensando nisso, as entidades representativas do turismo da cidade, promoveram um encontro com os novos vereadores eleitos no pleito de 2020 para debater ideias e apresentar um cenário futuro que também depende da boa legislatura dos 15 eleitos.

 

Realizada na sede do Sindhotéis, a reunião contou com a presença dos 12 vereadores eleitos (os demais tiveram conflito de agenda), e ouviram dos representantes das entidades turísticas a importância e os pleitos do setor. Nas apresentações aos vereadores foi reforçado o reconhecimento que Foz do Iguaçu possui no cenário turístico nacional e global.

 

“Nossa cidade é famosa mundialmente por ser casa de uma das 7 Novas Maravilhas da Natureza. Esse reconhecimento é fruto de muito trabalho. O setor é responsável pela fonte de renda de mais de um terço de sua população, além de beneficiar centenas de milhares de pessoas de forma indireta. Sendo assim, o impacto negativo causado pela pandemia ainda é incalculável e nesse reinício das atividades, nada pode ser mais importante que a união das instituições e apoio efetivo dos eleitos do povo. Nós colocamos todo um setor à disposição da câmara de vereadores e aqui pedimos reciprocidade, nos apoiem e nos deixem trabalhar”, comentou Paulo Angeli, Presidente do Conselho Municipal de Turismo – Comtur

 

Felipe Gonzalez, presidente do Visit Iguassu, apontou o impacto econômico que em 8 meses de pandemia, o município deixou de arrecadar mais de R$80 milhões. Isso se soma a perda de receita privada na casa dos R$2 bilhões de reais. “Podemos afirmar que a saúde financeira de Foz do Iguaçu e região depende grande parte do turismo e de atitudes assim, de união e esforço mútuo. Com ações planejadas e assertivas, podemos em breve rever o destino mais competitivo, a manutenção de funcionários e recolocação daqueles desligados nas etapas anteriores. Certamente os apontamentos não são novidade para os vereadores eleitos, mas o que buscamos aqui é demostrar que o setor está lutando para uma recuperação e essa luta é de todos”.

 

Ponto reforçado por Neuso Rafain, presidente do Sindicado de Hotéis, Bares e Restaurantes –  Sindhotéis, que pediu apoio na desburocratização nos tramites envolvendo documentações para construções e abertura de novos negócios. “Queremos aqui pedir que nos ouçam, que sintam os anseios do setor inclusive para a criação de leis e diretrizes que muitas vezes por falta de entendimento do assunto, colidem com a atividade”.

 

Yuri Benites, representante de Itaipu e vice-presidente do Comtur, apontou a união como uma ferramenta de retomada. “Temos em nossa cidade um exemplo do que a união pode trazer de benefício coletivo. A Gestão Integrada do Turismo, criada em 2007, mudou a postura do turismo local e serve de base para o que será necessário nessa nova fase, pós pandemia”.

 

Ações apresentadas

Durante a reunião, os vereadores puderam conhecer um pouco mais das ações de curto prazo para a Retomada do Turismo. Destaque para a Campanha “Vem Pra Foz, cedida por Itaipu Binacional, que está sendo veiculada no mercado regional, incentivando os turistas à viajarem com segurança; Retomada da malha área, contato constante com as companhias aéreas para o retorno dos voos e voos extras, com previsão ainda para dezembro, de 70% do fluxo operado antes da pandemia; Manutenção do Calendário de Eventos, já são mais de 30 eventos confirmados para 2021;  Festival de Turismo das Cataratas, as vésperas de acontecer, o evento é uma grande oportunidade para apresentar o Destino como único, com grandes atrativos e principalmente seguro, dentro dos protocolos sanitários.

 

Além de ações institucionais, os vereadores foram apresentados a alguns investimentos em andamento ou previstos pelo setor privado. Uma estimativa acima de R$ 2 bilhões de reais. O aeroporto também foi pauta, com suas ampliações e melhorias e as negociações para novos voos.

 

Pleitos do setor

Durante a reunião, foram apresentados 3 Pleitos do Setor Turístico. São eles:

Integração: Troca de informações com o setor de turismo organizado, através das instituições devidamente constituídas, sendo o COMTUR o fórum de discussões;

Emendas Impositivas: O turismo gera emprego, renda e movimenta mais e 52 setores econômicos. O setor precisa de apoio para projetos de logística, promoção, eventos e infraestrutura. Projetos que melhoram a vida dos munícipes.

Garantia da Realização do Orçamento da Secretaria de Turismo: Votar o orçamento do executivo garantindo o incremento e a realização do orçamento projetado para a Secretaria de Turismo.

 

Eleitos

A partir de janeiro de 2020, a Câmara Municipal de Foz do Iguaçu terá uma das maiores renovações de sua história, dos 15 atuais parlamentares, apenas dois se reelegeram (apenas um não tentou novo mandato). Entre os novos eleitos, nenhum defendeu diretamente a bandeira do turismo. Fato que não impende uma legislatura com a atenção mais ampla para setor segundo os vereadores participantes na reunião.

 

Durante suas apresentações e discurso, foram unanimes em dizer que o turismo será uma bandeira e que essa nova legislatura começa com portas abertas para propostas e ideia.

 

Estiveram na reunião Protetora Carol Dedonatti (PP), Yasmin Hachem (MDB) Kalito (PSD), Ney Patrício (PSD), Edivaldo Alcantara (PTB), Alex Meyer (PP), Anice (PL), Cabo Cassol (PODE), Jairo Cardoso (DEM), Maninho (PSC), Admilson Galhardo (Republicanos) e Dr Freitas (PSD).

C.Turismo

[email protected]