Legado das Águas é destino para o maior evento global de observação de aves

No dia 9 de outubro, o Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país, é destino para guias de observação de aves e praticantes da atividade participarem do “Big Day” Outubro, evento que ocorre no mundo inteiro para registrar o maior número de espécies possível em 24 horas. A Reserva, localizada a duas horas e meia de distância de São Paulo capital, em Miracatu, abriga quase 300 espécies de aves, entre raras e outras que só podem ser encontradas na Mata Atlântica. O Legado das Águas conta com infraestrutura completa para receber os observadores – pousada, restaurante e atrativos turísticos –, além de segurança por ter um rígido protocolo de prevenção ao contágio pela Covid-19.

O evento é organizado desde 2015 pelo Laboratório de Ornitologia de Cornell (Estados Unidos) e conta com milhares de adeptos no Brasil. O objetivo é apoiar a BirdLife International – organização ambiental – para acabar com o comércio ilegal de aves. Os observadores contribuem por meio de uma competição divertida de qual país consegue fazer mais registros. A contagem é feita por meio do aplicativo para celular Ebird, onde podem ser incluídas informações como a espécie, cidade e país do registro. Os dados são compartilhados com cientistas de todo mundo para ajudar na conservação e proteção das aves.

Além de observadores profissionais, podem participar do Big Day amantes de aves de todas as idades e profissões. Os interessados em participar do evento no Legado das Águas podem adquirir o “Ingresso de Visitação”, disponível para venda no endereço eletrônico https://loja.multiclubes.com.br/legado/ingressos/3. A visita pode ser feita individualmente, em grupo ou com a família. É necessário adquirir com antecedência, pois as vagas são limitadas devido à capacidade de operação controlada.

Guias de observação de aves também podem montar seus grupos e levá-los para o evento no Legado das Águas, sem custos adicionais.

 

Big Day no Legado das Águas

De acordo com William Mendes, gestor de Uso Público e Ecoturismo do Legado das Águas, o objetivo da Reserva em ser um dos locais para sediar o evento no Brasil é posicionar o Vale do Ribeira, região onde o Legado está inserido, como um destino nacional e internacional de observação de aves. “A primeira edição do Big Day no Legado das Águas abre uma série de ações que buscarão consolidar a Reserva, e o Vale do Ribeira, como um destino nacional e internacional para a prática de birdwatching, uma das atividades de ecoturismo que mais crescem no mundo. A região já recebe alguns praticantes, mas queremos ampliar muito mais, aproveitando todo o seu potencial, visto que estamos na maior e mais preservada porção de Mata Atlântica do país, com espécies emblemáticas e raras que só podem ser encontradas aqui”, reforça.

A pesquisa com aves da Mata Atlântica no Legado das Águas teve início em 2016, com um projeto de catalogação de espécies. A iniciativa buscou nortear a implantação da atividade de observação de aves no Legado e foi liderada pelos biólogos Wagner Nogueira, Luciano Lima e Rafael Bessa.

Atualmente, o Legado das Águas mantém a catalogação de aves por meio da equipe de Monitoramento Ambiental.

 

Prepare a câmera

Das 291 espécies registradas no Legado das Águas, 41% só existem na Mata Atlântica. Dentre elas, as espécies apreciadas pelos observadores de aves que costumam ser encontradas são: o uru (Odontophorus capueira), o sabiá-cica (Triclaria malachitacea), a choquinha-cinzenta (Myrmotherula unicolor), a choquinha-pequena (Myrmotherula minor), o não-pode-parar (Phylloscartes paulista), a maria-pequena (Phylloscartes sylviolus), o tropeiro-da-serra (Lipaugus lanioides) e o corocochó (Carpornis cucullata), entre muitos outras.

Desde o início do dia, quando a maioria das espécies pode ser observada, até o anoitecer, quando corujas como a murucututu-de-barriga-amarela (Pulsatrix koeniswaldiana) e a caburé-miudinho (Glaucidium minutissimum) dão as caras, é possível percorrer as estradas e trilhas do Legado em busca dos melhores locais para observação.

A Trilha do Cambuci, Cachoeira Dezembro e a Portaria de Tapiraí são alguns dos pontos preferidos para realizar a atividade.

É preciso estar com a câmera fotográfica a postos, pois em cada local pode haver uma surpresa: seja a presença de uma maria-leque-do-sudeste (Onychorhynchus swainsoni) – espécie ameaçada de extinção que vive perto dos rios e constrói seu ninho em galhos acima da água -, de um sabiá-pimenta (Carpornis melanocephala) – também ameaçada, encontrada nas áreas de menor altitude – ou de um chibante (Laniisoma elegans) – nas partes altas da Reserva.

 

Para participar

– Basta criar uma conta no eBird;

– No sábado, dia 09 de outubro, observe as aves;

– Crie uma lista de avistamentos e contabilize quantos indivíduos foram observados;

– Se possível, faça registros fotográficos e/ou grave a vocalização. Isso poderá ajudar, posteriormente, na identificação!

– Sua lista pode ser incluída tanto no site quanto no aplicativo. A vantagem de ter o aplicativo é que você pode atualizar os avistamentos durante a atividade e, além disso, você consegue mensurar a distância percorrida desde o início!

Envie sua lista até o dia 13 de outubro para serem contabilizadas nos resultados do site.

 

Programação

A programação tem início às 6h da manhã e encerra às 17h, com intervalo para almoço. Os observadores podem almoçar e se hospedar na Reserva. Para mais detalhes e disponibilidade da pousada: https://loja.legadodasaguas.com.br/. Para mais informações sobre a atividade ou parcerias com guias, entre em contato conosco pelo e-mail contato@legadodasaguas.com.br.

C.Turismo

colunadeturismo@gmail.com