Voos fretados da LATAM compensam 100% do carbono

Em seus esforços para liderar a descarbonização da aviação, a LATAM acaba de se tornar a primeira companhia aérea do Brasil a ter voos charters (fretados) 100% compensados no mercado nacional e internacional com origem no Brasil. Agora, todos os contratos de fretamento realizados pela LATAM no Brasil incluirão o valor da compensação, que varia de acordo com origem, destino e modelo da aeronave. A expectativa é que as emissões de mais de 500 voos sejam compensadas por ano no Brasil.

 

A iniciativa é uma oportunidade para que empresas e clientes da LATAM de diversos setores compensem os voos fretados com a companhia. Todos eles receberão um certificado que comprova a compensação com créditos de carbono com base no que foi emitido durante o voo. Os créditos adquiridos serão destinados à conservação da Orinoquia colombiana.
“Temos o compromisso de contribuir com uma aviação que reduza ou compense suas emissões de gases de efeito estufa. Por isso, temos feito uma abordagem inicial com nossos principais clientes para explicar sobre o projeto e eles têm se mostrado muito abertos a contribuir. Aproveitamos do interesse em comum de preservar o meio ambiente para convidar empresas de diversos setores a se juntar à LATAM e contribuir com essa agenda”, explica Lígia Sato, gerente de Sustentabilidade da LATAM Brasil.

 

Em maio de 2021, o grupo LATAM renovou a sua estratégia global de sustentabilidade e estabeleceu compromissos para proteger o meio ambiente na América do Sul nos próximos 30 anos de forma colaborativa e baseada no diálogo. Todos os compromissos estão focados nos pilares de Mudanças Climáticas, Economia Circular e Valor Compartilhado, conectados com o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

As três principais metas do grupo LATAM são: eliminar plásticos de uso único até 2023 e ser uma companhia zero resíduos para aterro sanitário até 2027; reduzir ou compensar o equivalente a 50% das emissões domésticas de CO2 até 2030; e ser uma companhia carbono neutro até 2050.

C.Turismo

colunadeturismo@gmail.com