Ministério do Turismo reafirma compromisso de 10 Mi de turistas internacionais por ano

Ao participar do evento de comemoração do recorde de arrecadação de R$ 34,5 bilhões promovida pelos estrangeiros que visitaram o Brasil em 2023, o ministro do turismo, Celso Sabino, reafirmou o compromisso do Ministério do Turismo com o país em alcançar, até 2026, a marca de 10 milhões de turistas internacionais por ano. Sabino explicou que, além de existir uma demanda represada no mundo, o Brasil tem melhorado o ambiente econômico, social e de responsabilidade com o meio ambiente, fatores que atraem cada vez mais o público externo.

“Além de toda demanda represada por turismo no mundo, temos que considerar o crescimento do Brasil, acima do previsto. Fechamos o ano passado com 3% de crescimento do PIB. O turismo contribuiu com 8,5%, muito acima do esperado. Retomamos o reconhecimento e o respeito a partir do mandato do presidente Lula”, afirmou Sabino.

A celebração, realizada no Aeroporto Internacional Tom Jobim (RIOgaleão), contou com a participação do ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho; do presidente da Embratur, Marcelo Freixo; do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes; do secretário de Turismo do Rio, Gustavo Tutuca, e do presidente do BNDES, Aloizio Mercadante.

O ministro Silvio Costa Filho destacou o fato de o Galeão ter se tornado uma referência nessa retomada do turismo. “Sob orientação do presidente Lula, buscamos uma solução conjunta para o Galeão. Esse ano, a expectativa são mais de 14 milhões de passageiros, e eu tenho muita confiança que nesses próximos três anos o Galeão vai superar mais de 25 milhões para a gente poder fortalecer a economia do turismo, porque a cada quatro turistas que chegam ao Brasil, um emprego é gerado”, comentou o ministro.

Em 2023, o Brasil também recuperou os índices de entrada de turistas internacionais, com a marca de aproximadamente 6 milhões de visitantes do exterior. O número ficou 3% acima do estimado pela ONU Turismo e é 62,7% maior que o acumulado de 2022, de 3,6 milhões.

O presidente da Embratur, Marcelo Freixo, comemorou os resultados alcançados neste primeiro ano de governo. “Nós chegamos a 6,9 bilhões de dólares. Isso é geração de emprego, renda, e isso se dá por uma série de razões, e uma delas está explícita aqui: a capacidade de diálogo e de articulação de um país que voltou a conversar com todos os seus setores, para que a gente pudesse promover este momento. Que a gente possa, cada vez mais, estar trazendo gente para cá, porque o Brasil está pronto”, afirmou.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, também enfatizou a importância das marcas alcançadas no ano passado. “Isso é muito importante para o Rio. A gente precisa investir no turismo, precisa acreditar nisso como motor de desenvolvimento da nossa economia, na geração de empregos, na atração de riquezas, e eu tenho certeza que, sob o comando do presidente Lula, o trabalho do Freixo na Embratur e do ministro Celso, a gente vai avançar muito”, pontuou o prefeito.

De acordo com um estudo feito pela Gerência de Informação e Inteligência de Dados da Embratur, a expectativa é que o Brasil receba cerca de 200 mil turistas internacionais no período carnavalesco. Esses visitantes devem deixar mais de R$ 900 milhões em receitas na economia do país durante as festividades, expectativa 6% acima do arrecadado em 2019, período pré-pandêmico.

CHILENOS – O evento de comemoração do recorde histórico de receitas com o turismo internacional teve início no Aeroporto de Santiago, no Chile, no voo da SKY Airline que trouxe os chilenos para o carnaval carioca.

A Embratur organizou uma recepção especial com o objetivo de agradecer aos turistas que ajudaram o Brasil a bater o recorde. O grupo foi recebido com muito samba da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, além de chá mate e biscoitos Globo para os visitantes sentirem o gostinho típico da Cidade Maravilhosa.

Ano passado, o Chile foi o terceiro maior mercado emissor de turistas para o Brasil, com 458.576 chegadas nos destinos nacionais. O número é o maior da série histórica e recoloca o país andino no pódio dos principais emissores de turistas, desbancando o Paraguai.

Em sua fala, o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, destacou a importância dos países vizinhos nos bons resultados do nosso turismo. “Dos cinco países de onde vieram mais turistas do Brasil, quatro são da América do Sul. Nós podemos crescer mais rápido se a gente fizer movimentos como os que estão sendo feitos hoje, de buscar mais relações com a região”, observou.

Na ocasião, dois casais foram sorteados para receber cortesias especiais: um deles ganhou ingressos para acompanhar o desfile das escolas de samba na Marquês de Sapucaí, enquanto o outro recebeu entradas para visitar o Pão de Açúcar.